15 de set de 2010

Análise Grafológica



uma análise grafológica

Na cópia da Forma de Vida de Santa Clara em dialeto siciliano, conservada no Mosteiro Montevergine de Messina, encontra-se no final do livro, escrito por outra mão, esta palavras: “E eu, irmã caríssima, prometo-te, se isso observares, a vida eterna”, palavras com que o Ministro Geral Guilherme de Casale quis que as abadessas fechassem o rito de profissão das próprias monjas (“Et ego, soror caríssima/ si hoc servaveris/ promicto tibi vitam/ eternam.”).
Essas palavras fizeram Terrizzi pensar que talvez pudessem ser da mão de Eustóquia, também porque poderiam dizer-se o seu programa de vida, para si e para suas irmãs, presentes e futuras, e o seu feliz coroamento. Talvez seria este o único escrito pessoal seu que atualmente se encontra entre nós. Terrizzi solicitou do professor S. Bidolli a análise grafológica da letra. Ela revela surpreendentemente tudo quanto é dito na Legenda sobre a personalidade de Eustóquia, ainda que esparsamente.
Se esta análise foi conduzida sobre um escrito autoral de Eustóquia, temos um conhecimento dela também através da ciência aplicada em psicologia, confirmando tudo quanto já havia sido dito e ainda dando oportunamente o seu complemento.
Os caracteres, muitas vezes superlativos, emergentes desta análise, nos colocam diante de uma personalidade excepcional, que dificilmente se encontraria outra além de Eustóquia, pois nas recordações do Mosteiro de Montevergine de Messina não permanece traços de outra personalidade capaz de ser colocada em confronto com a dela.
Eis o resultado da análise ( Estudo e Psicologia aplicada 30027- S. Donà di Piave - Via Cezare Batista, 39): análise psicológica da personalidade de quem escreveu na página final da Forma de Vida de Santa Clara em dialeto siciliano da segunda metade do século XV, conservado no mosteiro das Clarissas de Montevergine de Messina, conseguida com o teste Marchesam sobre escrita.
A intensidade das tendências e das atitudes são valorizadas segundo a seguinte escala de valores: nulo - leve - sensível - notável - forte - máximo
     Inteligência: A inteligência, na compreensão das coisas, conceitos, situações, age com máxima velocidade, com forte confiança nos próprios meios mentais, isenta de jactância, com notável vivacidade e máximo vigor. Tem uma forte capacidade de recolher as ideias, um fortíssimo discernimento e capacidade de reflexão especulativa; dotada de fortíssima clareza, de notável senso crítico, de forte capacidade de análise, forte capacidade de coordenação e de sentido prático das coisas. A fantasia é inovativa, notavelmente propensa ao novo, mas sempre ancorada objetivamente na realidade das coisas com máximo instinto e avaliação de tempo e de meios da deliberação e na atuação. Nas insídias, sabe defender-se bem, dotada de notável intuição psicológica, de capacidade de indagar e de intuições das astúcias dos outros. É-lhe difícil compreender a mentira, pelo altíssimo espírito de sinceridade e de clareza moral.
      Personalidade: a emotividade é notável e estimula os impulsos às reações, determinados por ímpeto máximo, por forte irritabilidade, por tensões psiconervosas e notável impaciência. Os freios porém são fortíssimos, com base em um notável controle intelectual e numa máxima capacidade de auto-disciplina. Portanto, algumas vezes pode manifestar reações um pouco violentas, que serão logo redimensionadas pelo sentido de realismo, com alguma inquietude interior de esclarecimento. É fortemente reconciliativa pelo notável amor à concórdia e pela máxima generosidade na consideração dos motivos das ações dos outros. Portanto, sofre intensamente dentro de si, freqüentemente assumindo ela mesma com forte despojamento a iniciativa na reconciliação. A avidez de gozo afetivo é máxima, estimulada pela máxima necessidade de expansão e comunicação e pela notável necessidade de desafogar na conversação a produção da própria fantasia e pelos notáveis sentimentos cordiais e calorosos. Porém, é bem atenta com quem realiza a própria conversação, amizade e intimidade, pela notável tendência a manter as distâncias das exigências éticas fortíssimas a cargo dos outros. Os afetos são delicadíssimos, dotados de calor cordial já assinalado e de ternura elevada ao misticismo, notabilíssima. Não obstante isso, o despojamento dos afetos é forte, não sentindo-se ligada por nostalgias ao passado afetivo.
      Sociabilidade: no relacionamento com o próximo é notavelmente compreensiva e maximamente generosa, com um fortíssimo sentido de respeito pela vontade alheia. Teria uma tendência a repelir pesos e cargas próprias, mas as razões altas prevalecem determinando um comportamento altamente altruístico. Com relação a si mesma, existe um senso de orgulho médio, um notável senso de decoro, um sentido equilibrado do eu. A sensibilidade à voz da consciência apresenta as características de uma altíssima repugnância pelas falhas morais e uma tendência ao escrúpulo, para o qual encontra porém um redimensionamento realístico. O senso místico é elevadíssimo, baseado sobre um fundo de sofrimento muito forte e de ternura e despojamento (com sentido sacrifical de si). Nas deliberações e decisões se vale de um fortíssimo bom senso e da elevada capacidade de harmonização das necessidades éticas e diferenciadas da pessoa, em si mesma. A ação é caracterizada de notável interdependência e da máxima atividade e dinamicidade, dotada de sensível zelo. Tem capacidade organizadora e de impor as próprias visões, não por imposição, mas pela proeminência da elevada intelectualidade e personalidade. É maximamente tenaz nas próprias realizações. A defesa das próprias ideias e propósitos é fortíssima (Professor Sante Bidoli -23.09.74).


Nenhum comentário:

Postar um comentário